Primeira atividade com projetos promovidos pela população traz inovação cidadã como solução para problemas do pós-conflito em Pasto, Colômbia; Instituto Procomum é a única entidade da sociedade civil na organização

O Laboratório de Inovação pela Paz na Colômbia – LABICxlaPAZ vai acontecer entre os dias 13 e 25 de fevereiro na cidade de Pasto, Colômbia. Durante o evento, 10 projetos para promover a cidadania, a paz e a melhoria da vida das pessoas no período pós-conflito (acordo de paz entre as Farc e governo do país) vão ser prototipados. A programação também conta com uma série de oficinas e palestras de inovação cidadã e promoção da paz.

A organização do evento recebeu 290 propostas de projetos e 750 inscrições de colaboradores, desses, 99 foram selecionados e contribuirão com os projetos.

Participação do IP

O Instituto Procomum é a única organização não governamental a participar da organização do evento. Rodrigo Savazoni, diretor do IP e coordenador do Lab Santista, vai participar da atividade como mentor. “Esse é o primeiro evento de inovação cidadã proposto da população para a população no período pós-conflito. Ou seja, uma excelente oportunidade para avaliarmos como projetos de inovação podem promover a paz, a democracia e cidadania de baixo para cima em um momento tão importante para o país”, disse.

O diretor do IP também acredita que o período pós-conflito na Colômbia pode servir de exemplo e diretriz para outros países e outros conflitos. “Claro que o papel do governo é importante, mas a superação do conflito só aconteceu graças ao esforço da própria população colombiana. E a inovação cidadã pode ser a chave para melhoria real da vida das pessoas a partir de suas demandas”.

O comunicador do IP, Victor Sousa, foi selecionado como colaborador e vai documentar o projeto Atrapanieblas – um sistema de captação de água potável da neblina. “Apenas 30% da população urbana e 3% da população rural tem acesso à água potável em Pasto. Nosso projeto pode realmente impactar a vida das pessoas. Construir e documentar o protótipo vai ser um grande desafio”, disse o comunicador do IP.
O jornalista também acredita que o evento será uma oportunidade de intercâmbio entre projetos de inovação cidadã. “Acredito que minha tarefa não apenas documentar o projeto Atrapanieblas e sim aprender metodologias de inovação cidadã e documentação e trazê-las para o Lab Santista. Ou seja, identificar como ações, saberes e soluções do pós-conflito também podem ser utilizadas em nossas atividades”, afirma Victor Sousa.

A rede brasileira de inovação brasileira também contará com palestras da Sil Bahia, do Olabi, e do Gilberto Vieira, do DataLabe.

Veja mais detalhes dos projetos na apresentação oficial do LABICxlaPAZ: