No processo de planejamento do Instituto Procomum, chegamos à conclusão de que precisamos aprofundar nosso conhecimento sobre inúmeros temas que nos interessam e que têm a ver com a questão dos bens comuns. A palavra usada nessas conversas foi autoformação. Também notamos durante o processo de construção do LABxS (Lab Santista) a enorme demanda por formação apresentada pelas pessoas da Baixada Santista. A expressão que ficou ressoando foi compartilhamento do conhecimento. Mas como trabalhar com educação de uma forma não convencional e utilitarista? Essa segue sendo uma questão relevante e resolvemos nos lançar a um experimento que buscará contemplar essa dupla demanda diagnosticada. São os Círculos LABxS.

Como?

Os Círculos LABxS são um programa de formação promovido pelo Instituto Procomum como parte do projeto LABxS (Lab Santista). Cada círculo constitui um processo formativo independente e pode ser composto por oficinas, palestras, cursos, dinâmicas, vivências, entre outros formatos de aprendizagem. A ideia é que os participantes possam desenhar seu próprio percurso, na direção do repertório que mais lhes interessar.
Em 2017, vamos trabalhar com temas como cultura maker/hacker, genêro e raça, economia colaborativa, ativismo e organização, o comum e criatividade e inovação.
Para coordenar conteúdos e dinâmicas, vamos contar com colaboradores locais, regionais, do restante do país e também internacionais. A ideia é trabalhar, dentro de cada círculo, com diferentes abordagens e visões complementares sobre os temas em questão. Também realizaremos as atividades em diferentes infraestruturas da região, em espaços de parceiros como a Estação da Cidadania, o SESC, o Dínamo (Makerspace Unimonte), a Realejo Livros, o Espaço Elos, entre outros locais que estão conectados a nossa rede.

Para quê?

O sentido desse projeto é fortalecer a capacidade de auto-organização dos atores da região da Baixada Santista, ampliando sua condição de atuar em benefício da coletividade e do comum.

Os círculos podem ser vistos também como um ambiente de fortalecimento da Rede LABxS (Lab Santista), que é formada por pessoas, iniciativas e infraestruturas da região.

Critérios para montagem dos Círculos?

Diversidade de gênero e racial na contratação dos formadores;
Buscar promover, em cada círculo, diferentes (complementares ou contraditórias) abordagens da temática;
Trabalhar com metodologias abertas e que possibilitem a colaboração no processo de aprendizagem;
Associar as atividades aos objetivos estratégicos do Instituto Procomum e do LABxS (Lab Santista)
Fortalecer, consolidar e ampliar a rede de colaboradores do Instituto Procomum
Estimular a autonomia dos formadores, no sentido de que possam enxergar o Instituto Procomum e o LABxS como um ambiente aberto a suas proposições;

Quem?

Peguemos o exemplo do Círculo Maker/Hacker.

Para este círculo, Rodrigo Savazoni e Geórgia Nicolau realizaram uma articulação com Felipe Fonseca, do UbaLab, que resultou em um módulo chamado Transformatórios.
Esse módulo é baseado em uma pesquisa que EfeEfe vem desenvolvendo há alguns anos e que busca desenvolver uma abordagem popular do fenômeno maker.
O módulo contaria com:
– uma palestra destinada aos promotores de projetos selecionados pelo Circuito LABxS;
– um curso de 40 horas a ser ministrado no Dínamo e na Estação da Cidadania;
– uma oficina de cartografia dos ofícios de transformação da matéria (carpinteiros, marceneiros, bicicleteiros, costureiras, alfaiates etc.) com 16 horas de duração, a ser desenvolvida com participantes do curso anterior e com membros de nossa rede.

Metodologia de construção dos Círculos

Como forma de estimular a autonomia e a liberdade de trabalho, a sugestão seria destacarmos coordenadores para cada círculo temático que fiquem responsáveis por apresentar uma proposta prévia, baseada nos métodos e critérios deste documento.
Também seria interessante pensar em um “conselho educacional” (não com esse nome) para ajudar a equipe de coordenadores a aprofundarem suas proposições. Esse conselho pode contar com os demais membros do Instituto Procomum.