Veja como foi o primeiro encontro Mulheres (no plural) e comum

 

No dia 27/5,aconteceu a oficina Mulheres (no plural) e o comum que fez parte do Círculos na Casa Fórum em Santos-SP. A atividade fez parte do Círculos, ciclo de formação promovido pelo Lab Santista e Instituto Procomum.

No primeiro encontro, facilitado por Lia Rangel, contadora de histórias e jornalista, e Bianca Santana, escritora, jornalista e taróloga, o objetivo foi criar um momento de escuta, repertório e cuidado para partilhar inquietações e desejos. Reconhecendo o protagonismo das mulheres para desenvolver soluções de inovação cidadã.

A Casa Fórum, produziu um vídeo sobre o evento. Assista.

https://www.facebook.com/casaforumsantos/videos/1329680213796292/

Veja também depoimentos de participantes e facilitadoras do evento:

“O encontro superou minhas expectativas. Foi muito enriquecedor ouvir as histórias e questionamentos de mulheres tão diferentes e, ao mesmo tempo, se deparar com anseios que lançam um novo olhar sobre o mundo. As mediadoras Bianca Santana e Lia Rangel souberam conduzir a conversa com sensibilidade, pontuando com textos lindos nossas reflexões. Como disse no dia, foi lançada a semente, que venham muitos frutos“, Denize Marques.

”Um círculo amoroso de confiança e partilha, com mulheres conectadas consigo mesmas, umas com as outras, com suas memórias e a construção de futuros possíveis. Desde a apresentação, quando cada uma pode olhar para dentro e se mostrar às demais; na experimentação da confiança e da partilha nos corpos e palavras; nas trocas teóricas sobre o feminismo, as relações de gênero, raça e classe; na evocação do que desejamos dali para frente: cada momento foi de cuidado e abertura. Uma brecha no espaço-tempo para experimentar o comum e plasmar a possibilidade de disseminá-lo a partir daquele encontro, sutil e poderoso”, Bianca Santana.

Urgência

Cada uma em sua casa.
Cada uma em sua casa cuidando
Da comida. Da lista de compras. Do ir e vir. Da pia suja. Da cama desarrumada.
Passar roupa nem pensar, sem convenções desnecessárias
Cabelos desgrenhados a meses. Prende um coque, ajeita um cacho
Batom, rimel, melhor que a cara lavada
A unha por fazer vai ter de esperar
Seca a lágrima da criança que não quer ir para escola. Hoje não tem opção,
Santa rotina
Que nos liberta nos aprisionando
Engole o choro acumulado. Deixa para mais tarde
Repetindo o que cada uma faz. Em casa. Sozinhas.
Lá fora, a pressa
Há pressa.
Apressa o passo, passa pela catraca, responde mensagens
Instantâneas
Divaga, dilui-se, esquece por segundos da lista que nunca acaba
Olha para o lado e vê outra.
De cabelo preso, camisa amassada, respondendo mensagens
Instantâneas

Lia Rangel

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *