Em 2018, o Instituto Procomum e o British Council realizaram três oficinas de capacitação do programa Active Citizens, formando 90 liderenças comunitárias, ativistas, membros de coletivos, empreendedores sociais e produtores culturais da Baixada Santista.

Mais duas turmas de capacitação do curso já estão com inscrições esgotadas para fevereiro e março de 2019 em em breve será lançado o edital Active Citizens 2019.

Compilamos alguns depoimentos de participantes da última turma, realizada em novembro de 2018.

Victor Augusto Mendes, 23 anos, formado em RI e mestrando em Direito Internacional, pesquisador das temáticas refugiados, migrações forçadas e direitos humanos.

“A experiência foi incrível, aprendi diversas técnicas de como tirar ideias do papel e transformá-las em um projeto efetivo e prático. O curso tem a estrutura voltada para formação de um projeto específico, mas também dá ferramentas para que qualquer outro seu projeto possa virar realidade.
Me senti privilegiado aprendendo a observar diferentes pontos de vista e técnicas que podem ser aplicadas para desenvolver projetos. Percebi que a minha ideia pode ter vida. Porque normalmente ficamos no mundo das ideias, nunca na prática.

E o curso ensina como transformar a ideia em um projeto e como ele pode beneficiar a sua comunidade. Eu me sinto diferente. Me sinto um cidadão mais ativo do que era antes porque a perspectiva muda depois do Active Citzens. Eu aprendi a observar os indivíduos em três níveis: das pessoas, da comunidade e da sociedade.

O curso também sensibiliza. Aprendi a observar nosso papel e responsabilidade como cidadão ativo.

A lição que ficou é escutar. É escutar a comunidade e o outro. Não dá para produzir um projeto e pensar que é o dono da razão e não escutar a comunidade que você quer aplicar a sua ideia.Eu aprendi a escutar e ser mais paciente. Eu tenho certeza que os aprendizados vou levar para o resto da minha vida.

Às vezes a gente fica com o complexo de inferioridade internacional. Costumamos dizer que no Brasil ou em Santos não existem projetos bacanas. A experiência do Active Citzens superou expectativas e mostrou que esse complexo de inferioridade que não tem fundamento. Aqui tem muita coisa acontecendo. Me abriu os olhos para diferentes comunidades e projetos que estão engajados e ativos.

Me sinto com as ferramentas em mãos para aplicar ideias. A perspectiva muda. Me sentia perdido em um mundo cheio de oportunidades e não sabia o que fazer com isso. Agora sinto que tenho uma ferramenta para ir além e aplicar uma ideia que seja simples, factível e dê resultados para a comunidade”, Victor Augusto Mendes.

Carol Valente, educadora e jornalista.

A oficina foi muito bacana. Como jornalista tive a oportunidade de aperfeiçoar como escrever um projeto social e assim colocar minhas ideias no papel. Como educadora também foi interessante porque aprendi técnicas para trabalhar a interação entre as pessoas de uma comunidade.
O curso é pensado de dentro para fora: primeiro falamos e pensamos em nós como indivíduos; depois começamos a pensar nosso papel como comunidade; e por fim, aprendemos a contar para o mundo sobre as ideias que temos para impactar a determinada comunidade.
Recomendo muito!“, Carol Valente.

Dener Marcos Xavier, produtor cultural e empreendedor social.

Simone Santos, artista visual.

Leia também matéria de Sarah Mascarenhas sobre o curso:

Relato da oficina de formação Active Citzens do Britsh Council por Sarah Mascarenhas