A Colaboradora – Empreender e Transformar selecionará 25 empreendimentos criativos de impacto social para programa de 12 meses; foco do projeto é fortalecer iniciativas empreendedoras de mulheres, pessoas negras, indígenas, LGBTQ e pessoas com deficiência.

O Instituto Procomum lançou a chamada pública do projeto A Colaboradora – Empreender e Transformar que vai selecionar 25 empreendimentos criativos  de impacto social para um programa de treinamento e incubação de 12 meses em Santos, São Paulo.

Podem se inscrever empreendedores entre 18 e 35 anos de idade, especialmente mulheres, negros, indígenas e pessoas com deficiência. As inscrições estão abertas até o dia 20 de março. Clique aqui para ler a convocatória e realizar a inscrição.

Os selecionados vão participar de um programa de treinamento, fazer parte de uma rede de aprendizado e trocas entre os participantes e ter acesso à infraestrutura do Lab Procomum com espaço de trabalho, salas para reuniões, internet e cozinha.

Em contrapartida, os empreendedores deverão dedicar parte do seu tempo para trocas horizontais com a rede de participantes do programa e para o trabalho reprodutivo do espaço. Ou seja, dedicar algumas horas mensais oferecendo serviços para outros colaboradores e cuidados com o espaço.

O projeto faz parte do Programa DICE – Developing Inclusive and Creative Economies, novo programa do British Council que apoia desenvolvimento de economia criativa e negócios sociais no Reino Unido, Brasil, Egito, Indonésia, Paquistão e África do Sul. O objetivo é fomentar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em economia criativa, empreendedorismo e impacto social.

Treinamento e formação

A Colaboradora – Empreender e Transformar é um processo de  formação baseado na criação de uma rede de apoio mútuo, no compartilhamento de informação e no aprendizado.

Por isso, o processo de formação e treinamento dos participantes vai ser iniciado por uma imersão para que os empreendedores possam conhecer a fundo as propostas do programa e do Instituto Procomum – o trabalho em rede, a colaboração, a criatividade e a promoção do bem comum.

O plano pedagógico também prevê apresentação dos conceitos básicos de empreendedorismo no Brasil e no mundo, negócios sociais e empreendedorismo criativo.

Depois, os participantes irão entrar em contato com temas como; empreendedorismo social e criativo, economia colaborativa e áreas correlatas.

O aprendizado da língua inglesa focado no empreendedorismo e na conversação também será um dos principais objetivos de aprendizado do projeto. Os participantes terão acesso à aulas gratuitas de inglês para diferentes níveis de fluência na língua.

Quem pode participar?

Qualquer pessoa que já empreenda algum projeto cujo foco seja atuar nos setores criativos para transformar a realidade, seja em andamento ou em fase de desenvolvimento pode participar. Pode ser um empreendimento de gastronomia, arte, moda, artesanato, tecnologia, serviços, entre outros.  O programa é direcionado para jovens de até 35 anos e serão valorizados projetos de mulheres, pessoas negras, indígenas e pessoas com deficiência. Também é importante a disposição para aprender e compartilhar conhecimento com os outros participantes do projeto.

Colaboração e trocas

A ideia da colaboração surge como resposta para a desigualdade, desemprego e falta de recursos. Ou seja, que as trocas diretas fomentam abundância com  nossos próprios saberes e fazeres quando são compartilhados e cooperados.

Também acreditamos na construção de um espaço de uso coletivo que possa beneficiar toda a região. Por isso, a importância em dedicar-se aos cuidados do espaço físico do Lab Procomum

A sede do Instituto Procomum foi sede de mais de 200 oficinas, cursos, encontros e rodas de conversa em 2018. É um espaço que fomenta a criatividade, o encontro e o bem-estar. Um local para criar, fazer e viver.

Sobre a Colaboradora

A Colaboradora é uma metodologia criada pelo Zaragoza Activa, em Zaragoza, Espanha, e que foi adaptada para o contexto brasileiro pelo Instituto Procomum.

Em 2018, o Instituto Procomum trouxe o projeto pela primeira vez para o Brasil com a temática Artes e Comunidades, na qual 14 artistas desenvolveram projetos relacionados ao território da Baixada Santista. Você pode ler mais sobre o projeto aqui.

A ideia é utilizar a mesma metodologia para o empreendedorismo criativo, entendendo que é um fator incisivo para mudanças práticas na desigualdade e desemprego.

Vale lembrar também que Santos vai sediar o encontro da Unesco de Cidades Criativas em 2020, ou seja, momento oportuno para o crescimento de novos projetos e novos talentos.

Clique aqui para acessar convocatória e realizar inscrição.